Unificando as Definições de Yoga

A união com o corpo, respiração e mente, junto com a crescente ação consciente e o aumento de equanimidade, resultam naturalmente em um aquietar da mente. A prática de Yoga cultiva quietude ao reduzir confusões, distrações e condicionamentos que nos impedem de enxergar o silêncio e a paz essencial de nosso Ser Real, que está sempre presente e a espera de ser despertado.

O Yoga Sutras de Patanjali apresenta uma metodologia multifacetada para trazer a mente para um estado de quietude. Os Yamas, os preceitos éticos, reduzem os conflitos internos e externos. Os Niyamas, as observâncias espirituais, oferecem um roteiro para a jornada de despertar. Asana, as posturas de Yoga, liberam o estresse e as tensões do corpo, ao mesmo tempo que otimizam o seu funcionamento.

Pranayama cultiva calma e tranquilidade, enquanto nos desperta para o corpo de energia sutil. Pratyahara gira os sentidos para dentro, reduzindo as distrações com o meio. Dharana, concentração, cultiva estabilidade psicoemocional e Dhyana, meditação, nos permite experienciar plenitude, integração e paz, que são reflexos de nosso Ser Real.

Cada um dos angas do Yoga, quando praticado diligentemente e sinceramente, nos prepara para a completa quietude da mente que é experimentada em Samadhi, a essência da prática de Yoga, segundo a perspectiva dos Yoga Sutras de Patanjali.

 

Próxima

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *